SHOW: INDUSTRIA GOSPEL DO EMPREEDEDORISMO DE PALCO

 

Cuidado :
 ...a  indústria evangélica  do empreendedorismo de palco poderá destruir você.  
Palestras bonitas, termos em inglês, pessoal super engajado e microfones do tipo Madonna, muito Power-Point. O empreendedorismo gospel é a nova religião do homem moderno. Materialista e secular, ele substituiu  a simplicidade do Evangelho para o altar do "homem bem sucedido".


Esse ente( homem bem sucedido) possui seus Evangelhos. São livros de triunfalismo e auto ajuda. Ele faz você  acreditar, de alguma maneira, que tudo aquilo irá aproximá-lo do seu objetivo principal: sucesso, fama, poder e dinheiro; …de preferência agora!

Receba agora!!! 

Quem visita as livrarias com certa regularidade percebeu que, nos últimos anos, a sessão dedicada ao triunfalismo, prosperidade,poder, manto de unção, e outros "negócios gospel" cresceu de uma maneira violenta. É espantoso: para onde quer que você olhe, eles estão lá. Obras que prometem os códigos da riqueza, os segredos da abundância, os cinco passos para o sucesso e como você aprenderá a pensar como Benny Him. Está assim no meio gospel!

Olhando para os movimentos evangélicos de hoje, concluo: Não tem como negar: o empreendedorismo gospel veio para ficar e, com ele, o seu fenômeno mais recente: "o empreendedor de palco!"

Empreender se tornou auto-ajuda. Se, antigamente, os livros, enormes e com suas setecentas páginas, te ensinavam a lidar com questões de vencer a carne e seus feitos, santidade, piedade, verdade, sinceridade, resiliência, esperança e até perda e etc;  hoje eles dizem: “Você irá chegar lá! Acredite, você irá vencer!”. A atividade espiritual piedosa foi reduzida à pura e pobre política do incentivo triunfalista. E o motivo é simples: os novos crentes compram o que elas querem ouvir. 

Geralmente, odiamos a verdade; principalmente quando ela diz que teremos que trabalhar duro e que a porta é estreita e o caminho apertado e chances de vitória tem um preço. 

No caso do evangélico, principalmente o penteca e néo-penteca, que lê pouco,que em meio a milhões de adeptos que não sabe discernir entre a mão direita e a esquerda ,é nesse momento que o empreendedor de palco cresce com receitas espirituais prontas, ecom cliches americanizados tipo: indset, empoderamento, millennials, networking, coworking, deal, business, dead-line, salesman com perfil hunter…tudo isso faz parte hoje desse vocabulário gospel.

Mais: O pacote de livros é sempre idêntico e as experiências são passadas da mesma forma, tipo: Você está a um único centímetro da vitória. Não pare! Se desistir agora, será para sempre. Tome, leia a estratégia dos dez passos para a vitória.

Ainda tem essas:  Faça mais uma mentoria, participe de mais uma sessão de coaching gospel. O problema é que sua fé  não está ajustada. Você precisa ser mais proativo. Vamos fazer mais um powermind? Eu consigo um poderzinho bacana para você…

O Apóstolo empreendedor do evangelho de palco torna aquele grupo a sua empresa. Aquele coletivo passa a ser o seu curral e a sua clientela de manada. O seu mercado é a esperança e o seu produto é a sua habilidade de, a cada novo vacilo do crente abestado, insistir que a força de vontade e aquele sentimentalismo barato serão a resposta para você.

Por não possuir, na maioria das vezes, experiências com o mundo real, esse tipo de cara se agrupará com tantos outros, para que  seu estilo de vida se  torne complemente entre outros do mesmo estílo gênero apostólico. Necessecitará sempre de estar em Conferencias afins com outros megalomânicos!

Perceba que não é muito difícil reconhecer o embuste. Ao entrar em algum desses cultos, pegue uma folha de papel e a divida ao meio. Escreva de um lado: “Discurso emocional” e do outro “Discurso prático”. Anote a quantidade de vezes que ele passará conceitos e estatísticas validadas em discursos reais,práticos, versus o tempo que gastará falando sobre discurso emocional. Esse último vai preencher a totalidade da divisão da folha!

 E esse é um movimento, ao que me parece, sem volta. Até mesmo as maiores meios de informação(livros, internet e suas redes sociais, convençoes e afins) no seguimento (evangélico), adotaram esse estilo de empreendedorismo compromissado mais com o entretenimento do que com realidade evangélica.

O resultado de tudo isso é uma indústria gospel que beira a esquizofrenia!

Hoje, logo pela manhâ meditava nos capítulos, 5,6,7 de Mateus e orando, analisei qual deve ser meu posicionamento em meio a toda essa loucura gospel. Conclui que:   O remédio para tudo isso? Esqueça a ideia de que há um caminho mais fácil. Realidade do Evangelho  é difícil e envolve coragem, comprometimento.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

"A Igreja Fábrica de Gente e Suas Peças de Produção"